Paginas

Marcas de uma Igreja Saudável - 3

Marca 3 - Uma compreensão bíblica quanto às boas novas
Mark Dever

A palavra Evangelho significa boas notícias. Essa deve ser a natureza da pregação do evangelho. Quando lemos, pregação e ouvimos o evangelho, devemos ter a sensação de que a Bíblia é de fato coisa boa, a vida de Deus oferecida a todo o que nele crer.

É particularmente importante que se tenha uma teologia bíblica em uma área especial da vida da igreja: a nossa compreensão a respeito das boas novas de Jesus Cristo, o evangelho. O evangelho é o coração do cristianismo, e por isso deveria ser o coração da nossa fé. Todos nós como cristãos deveríamos orar para que nós nos preocupássemos mais com as maravilhosas boas novas da salvação em Cristo do que com qualquer outra coisa na vida da igreja. Uma igreja saudável está repleta de pessoas que têm um coração voltado para o evangelho, e ter um coração voltado para o evangelho significa ter um coração voltado para a verdade: para a apresentação de Deus a respeito dele mesmo, para a nossa necessidade, para a provisão de Cristo, e para a nossa responsabilidade.

Quando apresento o evangelho a alguém, eu tento me lembrar de quatro pontos: Deus, o homem, Cristo e a resposta. Eu me pergunto: Compartilhei com esta pessoa a verdade sobre nosso Santo Deus e Soberano Criador? Deixei claro que nós, como seres humanos, somos uma estranha mistura: criaturas criadas à imagem de Deus e no entanto decaídas, pecadoras e separadas dele? A pessoa com quem estou falando entende quem é Cristo - o Deus-Homem, o único mediador entre Deus e o homem, nosso substituto e Senhor ressurreto? E finalmente, mesmo que eu tenha compartilhado tudo isso com ele, será que ele entendeu que precisa responder ao evangelho, que ele tem que acreditar nesta mensagem e assim abandonar sua vida de egocentrismo e pecado?

Apresentar o evangelho como um aditivo para dar aos não-cristãos algo que naturalmente já desejam (alegria, paz, felicidade, realização, auto-estima, amor) é parcialmente verdadeiro, mas só parcialmente verdadeiro. Como J. I. Packer diz, "uma meia-verdade disfarçada em verdade inteira torna-se uma mentira completa". Fundamentalmente, todo mundo precisa de perdão. Nós precisamos de vida espiritual. Apresentar o evangelho menos radicalmente do que isso é pedir falsas conversões e uma membresia de igreja irrelevante. Tanto uma coisa como a outra tornam a evangelização do mundo ao nosso redor ainda mais difícil.

Nossos membros de igreja espalhados pelas casas, escritórios e vizinhanças vão, neste mesmo dia, entrar em contato com muito mais não-cristãos, por muito mais tempo, do que eles gastarão com cristãos em um domingo qualquer. Cada um de nós possui tremendas novas de salvação em Cristo. Não troquemos isso por qualquer outra coisa. E compartilhemos isso hoje! George W. Truett, grande líder Cristão da geração passada e pastor de Primeira Igreja Batista em Dallas, Texas, disse:

A suprema acusação que você pode trazer contra uma igreja. . . é que aquela igreja tem pouca paixão e compaixão pelas almas humanas. Uma igreja não é nada melhor que um clube ético se sua compaixão pelas almas perdidas não é transbordante, e se ela não sai para tentar levar almas perdidas ao conhecimento de Jesus Cristo.

Uma igreja saudável conhece o evangelho, e uma igreja saudável o compartilha.

2 Comentários

Isaias Medeiros disse...

Olá,

Estou visitando a blogosfera cristã em busca de páginas interessantes para ler e trocar idéias.

Parabéns pelo seu trabalho, já estou sendo seu seguidor.

No Um pouco além do óbvio você encontrará temas relevantes sendo abordados por um livre-pensador cristão, adepto da "teologia da vida", aquela que enxerga o homem possível, e não o idealizado.

Ficarei honrado com a sua visita.

Um forte abraço.

N'Ele, a autoridade máxima em matéria de salvação.

Antonio Francisco disse...

Obrigado Isaías por seu comentário e considerações.

Antonio Francisco.